Comunicação · Notícias · Casais lança Academia para construir pessoas
EN FR PT

Notícias voltar

Casais lança Academia para construir pessoas

60 anos de história numa empresa familiar de construção que resistiu aos piores anos.

11.06.2019

Há algum segredo pra manter uma empresa de construção, estes anos todos?

Somos uma empresa familiar, o que, por vezes, é uma desvantagem, mas se for bem tratadas a relação empresa/família pode ser positiva. Quando se tem uma história, há uma estatística para ser analiada e o que se verifica é que estas empresas em períodos de crescimento não são as que crescem mais, mas em períodos de crise também não são as que quebram mais. Talvez por serem mais conservadoras conseguem ter um forma mais moderada de estar, mas mais consistente.

 

Já recuperaram totalmente da crise?

Em 2008, quando veio a crise, foi a altura em que olhámos para dentro. Temos muito claras quais são as regiões em que não conseguimos ter vantagem competitiva, por exemplo, a Europa de Leste, mas a Europa faz parte do nosso ecosistema: aprendemos em países desenvolvidos e exportamos esse conhecimento para países em desenvolvimento. Se compararmos o período atual com o anterior, em 2008 faturávamos quatro vezes mais em Portugal, mas a nível global estamos melhor. 2011 foi o pior ano, mas em 2012 passámos de 60 para 160 milhões de euros na atividade internacional (atualmente cerca de 70% da faturação do grupo é internacional), graças ao trabalho que já vinha de trás.

 

O que os distingue?

Com a crise deixámos o que não tinha que ver com a construção. Hoje temos três áreas - engenharia/construção; especialidades/indústria e promoção/gestão de ativos e trabalhamos muito com parceiros. Esse é um elemento distintivo.

 

A Casais está interessada na construção do novo aeroporto?

Gostaríamos muito de participar, na área de edifícios terminais, por exemplo. Já o fizemos em Gibraltar e partes na Bélgica.

 

Alguma área onde queiram crescer mais?

Queremos crescer muito na parte da indústria.

 

Nunca deram passos maiores do que as pernas?

De certa forma não. Só recentemente entramos no setor público mas sempre com cautela. o que nos move não é faturar muito e sermos os maiores. Queremos é ser sustentáveis. Uma referência de solidez e conhecimento.

 

Leia na íntegra a reportagem na edição mensal da Revista Exame ou aqui.

Texto: Alda Martins

Fotos: Lucília Monteiro

Imprimir esta página
Guardar como PDF
©2019 Grupo Casais
todos os direitos reservados
newsletter
Subscreva a nossa newsletter e acompanhe todas as novidades do Grupo Casais
Ao subscrever, está a aceitar a nossa política de privacidade.
©2019 Grupo Casais todos os direitos reservados
voltar ao topo
PARTILHAR ESTA PÁGINA:
Aviso!
Addo re haec ii unum idem ex cera sumi ob!
Notandum callidus memoriae hic deo exsurgit. Contineri mo sufficere se ingeniosi devinctam perfectis id ad.
Ok
Cancelar